em Doenças, Exames, Tratamentos

Apesar de ser pequeno, o olho é um dos órgãos mais complexos e frágeis do corpo humano. No rosto, ele precisa de cuidados da mesma maneira que a pele e os dentes, por exemplo, que as pessoas costumam dar mais atenção. Uma das partes do globo ocular que poucos conhecem, mas é de extrema importância para conseguirmos enxergar, é o vítreo, também é conhecido como humor vítreo.

O vítreo nada mais é do que uma estrutura gelatinosa incolor que preenche cerca de um terço do olho. Esta massa está localizada entre o cristalino, que fica na parte da frente do olho, e a retina, que está na parte de trás do globo ocular. O vítreo, portanto, serve para proteger estas duas superfícies.

No entanto, para entender a importância dele, é preciso compreender primeiro o que é o cristalino e a retina. Para isso, basta pensar no olho como se fosse uma câmera. Por esta lógica, a retina seria o filme fotográfico, onde a imagem é formada e registrada, e o cristalino seria a lente, por onde as ondas de luz entram.

Conforme envelhecemos, o vítreo deixa de ser gelatinoso e começa a ficar mais líquido. Isso pode fazer com que ele se separe da retina em alguns pontos do globo ocular. Esse processo é chamado de descolamento do vítreo.

Em um primeiro momento, não há com que se preocupar, já que o deslocamento do vítreo em si não causa grandes problemas. Acontece que, em alguns casos, existe o risco de esse deslocamento causar pequenos “rasgos” na retina, o que pode levar ela a se descolar. Isso é preocupante. Traçando mais uma vez a comparação do nosso olho com uma câmera fotográfica, reflita: dá para tirar foto, ou seja, enxergar, sem o “filme fotográfico” que seria nossa retina?

O principal sintoma de descolamento do vítreo é o surgimento de pequenas manchas flutuantes no campo da visão. São manchas que se deslocam de acordo com o movimento dos olhos e que tem formato parecido com a silhueta de insetos, de teias de aranha, de pontos ou de linhas. Essas figuras são chamadas pelos oftalmologistas de “moscas volantes”. Em alguns pacientes, também ocorre o surgimento de flashes de luz no canto da visão, na região que é chamada de visão periférica.

Além da idade, existem outros fatores que podem levar ao descolamento do vítreo. Um deles é a miopia, cujo principal sintoma é a dificuldade de enxergar à distância. O outro são os efeitos colaterais da cirurgia para correção de catarata – doença que torna a visão nublada –, além de traumas e inflamações em geral.

Não existe um tratamento específico para o deslocamento do vítreo, mas existe a possibilidade de evitar que danos sejam causados à retina, o “filme fotográfico” indispensável para nossa capacidade de enxergar. Se você notar o surgimento de “moscas volantes” ou flashes de luz no campo de sua visão, procure um oftalmologista imediatamente. Ele poderá fazer um estudo da sua retina e mapeá-la para verificar se ela está descolada.

Consulta e Revisão : Dra. Francyne Veiga Reis Cyrino

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
× Fale conosco via WhatsApp